segunda-feira, 21 de maio de 2012

Nada se perde, tudo se transforma !




Fazer a Caixa Reciclável "Coffee Arábica XIX" é muito simples. 
Acompanhe aqui o passo a passo para fazer esse lindo souvenir
com cheirinho fraco e gostoso de café. 

Você Vai precisar de: 



1 - Coadores de Café de Papel usados;

2 - Uma caixa usada de sapatos, ou alguma outra caixa que iria para o lixo. É importante as condições de higiene dela estarem preservadas ;

3 e 4 - Os únicos itens que terão que ser adquiridos, um tubo de cola Cascorez® e um pincel de pelo número 24 ou com dimensão de 2 a 3 cm aproximadamente de largura;

5 - Adereços para ornamentar a caixa, bem como: Renda de roupas antigas, aquela fitinha velha do fundo da gaveta que normalmente iria pro lixo em uma faxina, sementes de arvores pequenas e médias, como no caso da foto que mostra sementes de "Adenanthera pavonina" (Conhecida como Olho de Dragão, Olho de Pombo ou Carolina), muito comum de serem encontradas em praças e parques, ou o que a sua CRIATIVIDADE permitir;

PASSO A PASSO 

1 - Junte os coadores de café (é importante que eles estejam com o aspecto manchado), e tire com uma colher ou espátula o excesso de borra de dentro deles. Não lave-o de maneira alguma pois ele perderá a cor desejada. Após feito isso, coloque os coadores para secar ao sol. Quando eles tiverem secos, abra-os de ponta a ponta pela lateral com uma tesoura de forma com que ele fique parecido com um leque aberto. Com uma escova de escovar roupas, escove a parte de dentro do coador até sair todo o pó que ficou lá, é necessário que ele fique bem limpo, mas cuidado para não rasgá-lo.


2 - Com o pincel, espalhe a cola em parte da superfície da caixa, e cole o coador com a parte de dentro 
(a parte de dentro é a que você escovou para tirar o excesso do pó de café) voltado para caixa. Passe o pincel com um pouco de cola em cima do coador já aderido na superfície, de forma a deixa-lo liso, sem rugas ou bolhas.Repita o processo até cobrir a caixa toda inclusive as partes internas, não se pode esquecer disso.


3 - Deixe a caixa coberta secando por algumas horas. Depois, finalize passando a cola por toda a caixa, isso fará com que ela fique com um aspecto brilhoso, como se tivesse passado verniz sobre ela. Para poupar o uso da cola, você pode misturar ela com um pouco d'água nesse processo, mas atenção, a medida de cola é bem maior que a de água, evitando que ela fique muito diluída ou "aguada".


4 - Finalize ornamentando com a sua criatividade, colando fitas ao redor ou combinando laços. Você pode até colar algumas sementes de café para dar um beleza extra na caixa,e o mais importante, combinar o padrão de cores para que a caixa não perca o seu aspecto refinado, rustico e com um pequeno toque do moderno. Isso será importante se você desejar vendê-la, cujo preço e modo de incrementá-la (com sabonetes, sais de banho ou chocolates) é totalmente a critério de quem a produziu, porque as dificuldades de trabalho serão diferentes de acordo com as habilidades de cada um.


Boa Sorte, e obrigado por conferir a ideia que por sinal não é minha ! 
Eliakim Silva

domingo, 13 de maio de 2012

Da série : Sociedade e Insatisfação.

Não é tão difícil entender porque Movimento dos Sem Terra é marginalizado no Brasil, levando em conta que existe uma grande elite pouco interessada nos ideais da Reforma Agrária exigida por esses lutadores. É uma elite que está no Executivo, no Legislativo, no Judiciário e em nos nossos lares, no que a mídia tenta passar. 
Vejamos uma reflexão importante sobre isso:



(...) Assim, a lei vai sendo invocada por ambos: uns para mantê-la, outros para questionar o seu cumprimento. O direito vai sendo subvertido e a justiça ficando de um lado só, o lado do direito reivindicado pelas elites. Muitos magistrados são capazes de dar reintegração de posse a um representante da elite que não possui titulo de domínio de uma terra que é sabidamente pública. Como tal, sendo pública ela não é passível de reconhecimento de posse. Entretanto, a justiça cega não vê porque não quer. Mas, muitos magistrados apenas vêem quando os camponeses em luta abrem para a sociedade civil a contradição da posse capitalista ilegal da terra pela Constituição. Neste momento, o direito é abandonado e a justiça vai se tornando injustiça. aqueles que assassinam ou mandam assassinar estão em liberdade. Aqueles que lutam por um direito que a Constituição lhes garante, etão sendo condenados, estão presos. Repetindo, é a subversão total do direito e da justiça.

A luta e a própria Reforma Agrária vão para o banco dos réus. Os camponeses processados e condenados, Instaura-se em nome do rigor do cumprimento da lei, a velha alternativa de tornar os presos políticos em réus comuns. Aliás, de há muito neste país, história e farsa, farsa e história se confundem ao olhos dos mortais. Por isso, "por defender a implantação da Reforma Agrária no Brasil, 17 trabalhadores rurais ligados ao MST foram detidos em todo país. Em uma manobra para intimidar o Movimento, instâncias judiciais emitem mandados de prisão e abusam do seu poder. A detenção de cada um desses trabalhadores representa a prisão de todos os sem terra do Brasil, tratados como fora-da-lei por lutarem contra o latifúndio e pela terra".

Ariovaldo Umbelino de Oliveira - Barbárie e Modernidade : As transformações no campo e o Agronegócio no Brasil. Terra Livre: São Paulo. Ano 19.v.2.n.21. Pg115, 2003.

Bem, é curioso saber que quem a sociedade anda elegendo forma uma bancada de opressão sobre os mais desfavorecidos. Precisamos repensar toda nossa estrutura, porque a aplicabilidade de nossas leis adam pouco credibilizadas e a sociedade anda mais enferma que nunca. A insatisfação é visível e poucos são os que tem coragem de lutar, denunciar, e de até mesmo de se pronunciar.
E você ? Tem algo a falar ? 
Fique a vontade ... 

quarta-feira, 2 de maio de 2012

XINGU

O Cinema Brasileiro mais uma vez sai na frente, dessa vez com uma narratória etnográfica/indígena em um tempo em que o Oeste Brasileiro era Inóspito e as Cartas Geográficas da região eram um imenso vazio esbranquiçado que deram início à Expedição Roncador, desbravando o Oeste. Eu estou falando do filme XINGU cuja estréia data de Abril de 2012.
Xingu é um filme dirigido por Cao Hamburger e conta a história dos irmãos Villas-Boas e a fascinante trajetória deles pela região do alto Xingu, onde encontraram o Desconhecido, e o Desconhecido assim também os encontrou.
O fato desses três irmãos que dedicaram seu trabalho para a população indígena que ali vivia é interpretado de forma muito envolvente pelos atores João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat.
É um filme que com toda certeza merece o respeito da indústria cinematográfica internacional. A Fotografia é muito boa e a composição das cenas nos leva a altos picos de envolvimento e interesse pela história.Vale a pena assistir. Fica aí o Cartaz do Filme, o Trailer e ainda a indicação do livro pra quem quer conhecer melhor a história dessa expedição.  
Eliakim Silva





TRAILER DE CINEMA
video


LIVRO

Título: A marcha para o Oeste
Autor: Claúdio & Orlando Villas Bôas
Gênero: Livros Reportagem