domingo, 1 de agosto de 2010

O Amapá através dos tempos - Arqueologia -

Temos o conhecimento de que a Arqueologia é uma ciência que investiga o modo de vida histórico  e conseqüentemente suas faces culturais através de vestígios suplantados pelo tempo. Indícios muitas vezes Geológicos, que se fazem eternizar ao longo dos anos abaixo de uma densa camadas de sedimentos.

Pois bem, convenhamos aqui que a cultura Amapaense em termos de achados arqueológicos é ampla, possibilitando assim o reconhecimento do nossos antepassados, uma questão de afirmação que se torna verídica através dos fatos comprobatórios.

Após o episódio de 1990 onde Arqueólogos do IEPA (Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá) juntamente com Universitários dos cursos de Geografia, História e Física trabalharam na escavação do achado de 12 urnas funerárias encontradas quando se escavava uma vala de drenagem pluvial nas redondezas da universidade , o episódio voltou a se repetir. Como já se sabia das densas informações que circundavam as proximidades do bloco E (Bloco de Geografia), foi iniciado um trabalho de escavação para reiterar fatos além dos que um dia foram abruptamente catalogados por um outro museu, um fato que aqui entre nós é no mínimo inquietante. Diga-se de passagem de que nada fora apropriado ilegalmente, o que ocorreu é que como não havia arqueólogo no estado, a retirada foi feita por pesquisadores do Museu Emilio Goeldi, que catalogaram os achados.

Após a retomada das escavações em Junho deste ano, os que naquele local trabalhavam foram surpreendidos na Terça-Feira, do dia 27 de Julho de 2010, uma manhã aparentemente normal, porém um fato surpreendeu os pesquisadores do Programa de Resgate Arqueológico no Campus Marco Zero da UNIFAP. Alguns artefatos foram  encontrados durante as escavações, porém algo de um tanto incomum eles apresentavam. Uma urna relativamente grande de dimensões de 70 cm de largura e 65 cm de altura, que tem características marajoaras, e outras quatro de menor porte com mais três estilos indefinidos.


Segundo Mariana Cabral, uma das coordenadoras do Programa e arqueóloga do IEPA, a urna em questão deve ser a maior já encontrada no Estado e pode ser mortuária, pois o local é um antigo cemitério indígena pré-colonial e os estilos diferentes de urnas encontradas mostram um possível contato entre diversas culturas indígenas há mais ou menos 1.000 anos atrás.(Fonte: UNIFAP)

O programa que estava previsto para ser encerrado no dia 23 de Julho fora adiado, e se estendeu até o fim desta semana, onde houve um labor muito grande para a retirada das urnas para preservá-las o máximo possível.
As urnas então seguirão para os Laboratórios do IEPA (Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá), onde após os processos de estudos parciais eu particularmente espero que sejam catalogadas por aqui mesmo...assim espero !

       




Por: Eliakim Silva

Um comentário:

●๋• Debby ●๋• disse...

No Amapá existem várias dessas espécies de sítios arqueológicos, um verdadeiro tesouro se guarda nessas terras... E que terras...

Sempre é bom saber de novas descobertas como estas, e melhor e poder ser informado assim, de uma maneira sutil por um ser apaixonado pelo lugar em que vive.

AstroabreijoOs!